TRE mantém, por unanimidade, cassação do prefeito de Guanhães

guanhaes

O Tribunal Regional Eleitoral manteve nesta quarta-feira (7) a cassação do prefeito de Guanhães, Geraldo José Pereira (PMDB), e da vice-prefeita, Mary Celeste de Miranda Soares (PR). Foram julgados dois recursos por uso indevido dos meios de comunicação social e uso de caixa dois na campanha eleitoral, sendo mantida a condenação de primeira instância por unanimidade.

O prefeito e a vice foram declarados inelegíveis por oito anos, assim como o proprietário de um jornal que foi utilizado para expor a imagem do adversário político de Geraldo José Pereira. O juiz João Batista Ribeiro, relator dos recursos, afirmou que era nítida o abuso do uso do meio de comunicação “afetando a normalidade e legitimidade do pleito ocorrido em Guanhães”.

No processo por uso de caixa dois, o julgador verificou que houve arrecadação de 54% da receita total da campanha em desacordo com a legislação eleitoral, com indícios de ocultação da verdadeira fonte dos recursos. “As condutas foram graves, quando se demonstrou que mais de 50% do total de recursos de campanha não tiveram identificação de suas origens, além da constatação do uso de ‘caixa-dois’ ”, apontou o relator.

Novas eleições
Além das ações julgadas nesta quarta-feira, ainda tramitam outras duas ações contra o prefeito na Justiça Eleitoral, além de três denúncias no Ministério Público. Com a condenação, foi determinado pela Corte a convocação de novas eleições majoritárias após o julgamento de recursos, aos quais os condenados têm direito. Geraldo José Pereira e Mary Soares permanecem em seus cargos até que os recursos sejam julgados.

O G1 não conseguiu contato com Geraldo José Pereira e Mary Soares.

Foto: Reprodução/Internet
Via G1/Vales