Operação de combate ao tráfico de drogas é deflagrada em Formiga, no Centro-Oeste de Minas

sirene

Após aproximadamente seis meses de levantamentos de informações e planejamento, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), realizou hoje, 23 de novembro, a operação Veneno na Lata, a fim de combater o tráfico de drogas em Formiga, no Centro-Oeste de Minas, desarticulando um grupo que atuava na região, como célula ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

O Gaeco, formado por integrantes do Ministério Público, da Polícia Militar e da Polícia Civil, cumpriu 28 mandados de prisão (23 homens e duas mulheres), além de prender uma mulher em flagrante. Dos mandados de prisão cumpridos, cinco foram de autores que já estavam presos em decorrência da operação e receberam nova voz de prisão hoje, já na Penitenciária de Formiga. Constatou-se, ainda, que um detento da cadeia de Bambuí estava envolvido na organização criminosa e que atuava no tráfico do interior do estabelecimento, razão pela qual também foi expedido mandado de prisão em seu desfavor.

Entre os presos na operação, está um taxista de Formiga que atuava como motorista do tráfico que foi detido no Guarujá/SP, por meio do apoio do Gaeco de Santos. Um outro traficante de Formiga, já havia sido preso na sexta-feira, 18 de novembro, em Paulínia/SP. A prisão foi feita pelos Gaecos de Formiga e de Campinas e pela Polícia Militar de São Paulo. Na ocasião, foram apreendidos aproximadamente 32 quilos de maconha, 320 pinos de cocaína e 355 gramas de crack em pedras grandes que renderiam entre 1.300 e 1.400 pedras em tamanho comercial.

Além das 29 pessoas presas, um adolescente foi apreendido por homicídio tentado e, com ele foram apreendidas uma arma de fogo e uma granada de mão. O adolescente, que vinha sendo monitorado, está internado em estabelecimento socioeducativo.

Durante a operação, também foram apreendidos os seguintes materiais: cerca de um quilo de maconha, um pé de maconha medindo aproximadamente 90cm, uma munição calibre 320 intacta e celulares.

Hoje, à medida em que os autores foram presos, passaram por uma triagem no Parque de Exposições de Formiga, onde já foram entregues à custódia dos agentes penitenciários e, na sequência, conduzidos para o estabelecimento prisional.

A operação foi coordenada pelo MPMG – por meio dos promotores de Justiça Ângelo Ansanelli Júnior, Eduardo Fantinati Menezes, Eduardo Almeida da Silva e Rodrigo Storino – pela Polícia Militar, através do tenente coronel Paulo José Azevedo, e pela Polícia Civil, na pessoa do delegado Luís Paulo. A ação contou com 74 policiais militares em 22 viaturas (51 policiais e 15 viaturas do 63º Batalhão e 23 militares e sete viaturas da 7ª Companhia de Policiamento Especializado). Da Polícia Civil foram três delegados, três escrivães e 49 investigadores. A operação ainda contou com o apoio da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), através da Penitenciária de Formiga, e dos Gaecos de Campinas e de Santos, por meio dos promotores de Justiça Amauri Silveira, Silvio Loubeh e Fábio Perez Fernandez, que viabilizaram importantes prisões.

Segundo os promotores de Justiça, o Gaeco, por meio do MPMG, Polícia Militar e Polícia Civil, com apoio da Seap, está trabalhando diuturnamente para proporcionar um ambiente mais seguro à população, através do combate a organizações criminosas.

Eles destacam ainda que parte das informações necessárias para o sucesso da operação tiveram início ou foram confirmadas por denúncias feitas pela população pelo 181 (DDU), 190 ou diretamente a policiais da cidade, demonstrando a importância da participação popular na segurança pública, com o fornecimento de dados aos órgãos do sistema de defesa social.

Fonte: Gaeco – Formiga



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com